18.12.12

Estou doente! E agora?

Basicamente, um dos maiores 'medos' de uma grávida é ficar doente. 
Eu não sou diferente e... depois de uns largos dias intensos de trabalho, de algumas correntes de ar e de estar com as protecções mais "falíveis"... eis que acordo com uma dor de garganta.

O nosso maior desafio, enquanto grávidas, é saber como curá-las, visto o recurso a medicamentos está muito limitado. Passamos, abaixo, um pequeno 'Manel de boas práticas', no que diz respeito a este tema, que deve ter em conta se está grávida e constipada ou engripada:

  • Telefonar ao vosso médico obstetra. Ele, melhor que ninguém, sabe o que é mais indicado a receitar para a vossa maleita e podemos confiar nele. Foi o que eu fiz! Às 7h45 lá estava eu a questionar o nosso Obstetra (o Dr. Fernando Cirurgião, de quem vamos falar mais à frente)
    • Ele receitou-me um Ben-u-Ron de 1gr de 8h/8h. É  fraquinho e ajuda-nos a ficar melhorzinhas :) Mas vamos tentar tomar o mínimo possível. Ainda juntei uns cházinhos com mel e descanso!
    • Prometam-me  que não tomam quaisquer medicamentos de venda livre que prometem aliviar, genericamente, sintomas de gripe e constipações, sem o conselho do seu médico. Sabem que estes medicamentos contêm um cocktail de princípios activos para um conjunto de problemas, desde corrimento nasal a tosse, passando por dores de cabeça e garganta. Alguns podem ser prejudiciais, além de desnecessários para a nossa "cura".

  • É preciso termos em conta que os medicamentos de venda livre não são livres de efeitos na gravidez. Mesmo o paracetamol, princípio activo de alguns medicamentos conhecidos para alívio das dores e para baixar a febre, não deve ser tomado de forma prolongada.
    • Estudos recentes associaram o seu consumo prolongado a problemas nos nossos bebés!

    1. A Aspirina, ou todos os medicamentos cujo princípio activo seja o ácido acetilsalicílico, deve ser evitada, pois afecta a coagulação do sangue
    2. O Brufen, ou todos os medicamentos cujo princípio activo seja o anti-inflamatório ibuprofeno, também não deve ser tomado durante a gravidez pois pode provocar malformações cardíacas no feto
    3. Medicamentos para a tosse ou dores de cabeça com codeína também devem ser evitados pelas grávidas, pelos seus efeitos teratogénicos.
    4. Em vez de descongestionantes nasais ou anti-histamínicos - que podem ter efeitos nocivos para o desenvolvimento fetal - opte pelos sprays de água do mar (vendidos em qualquer farmácia).
  • Tenham, ainda, cuidado com os produtos naturais, sejam infusões, pastilhas, suplementos. Muitos dos seus ingredientes não foram testados e o facto de serem naturais não quer dizer que não possam ter efeitos negativos na gravidez, ok?
  • Não exagerem no consumo das pastilhas para a garganta, pois contêm doses de açúcar consideráveis. Verifiquem, sempre, se não contêm substâncias desconhecidas: Zinco e vitamina C costumam fazer parte da lista e estes 2 nutrientes devem ser consumidos em dose limitada durante a gravidez (100 mg de vitamina C e 11 mg de zinco por dia, são os limites recomendados pelos especialistas).
  • Há, ainda,  medidas e remédios caseiros eficazes e seguros para tomar quando se sentir doente (quer esteja grávida ou não):
    • mel com sumo de limão (ou chá de limão com mel) em caso de dores de garganta
    • vapores de água no caso de congestionamento nasal ou sinusite (coloque uma toalha sobre a cabeça, inale o vapor da água bem quente colocada numa bacia ou lavatório
    • beber muitos líquidos
    • dieta equilibrada e rica em vitaminas, especialmente vitamina C
    • em caso de dor de cabeça, deite-se no escuro e tente dormir


Importante mesmo é descansar bastante

Se conhecerem mais formas de atenuar a dor, partilhem connosco!

Até já

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...