6.1.13

Pré-Eclâmpsia

Infelizmente, algumas vezes temos de falar de alguns temas mais "chatos". Mas é a falar sobre eles que fazemos alguns alertas e prevenimos alguma coisa de poder correr mal. 


(Atenção que não sou médica e apenas partilho informação sobre os temas. Sempre que existirem erros ou algo a acrescentar, é de bom grado que recebo as vossas dicas)





A pré-eclâmpsia é uma doença gestacional em que, após a 20ª semana (fim do 2º ou 3º trimestre), a gestante desenvolve hipertensão e desenvolve proteína na urina.


Apesar de ainda não existir uma causa definida para a pré-eclâmpsia, as possíveis causas incluem:


  • Doenças autoimunes
  • Problemas nos vasos sanguíneos
  • Dieta
  • Genes

A pré-eclâmpsia ocorre em uma pequena porcentagem das gestações. Os factores de risco são:


  • Primeira gestação
  • Gestação múltipla (gémeos ou mais)
  • Obesidade
  • Idade superior a 35 anos
  • Histórico anterior de diabetes, hipertensão ou doença renal

Exames


O médico realizará um exame físico e solicitará testes laboratoriais. Possíveis sinais de pré-eclâmpsia:


  • Hipertensão, geralmente maior do que 140/90 mmHg
  • Proteína na urina (proteinúria)
O exame físico também pode indicar:


  • Inchaço nas mãos e no rosto
  • Ganho de peso
Também serão realizados exames de sangue e de urina. Os possíveis resultados anormais incluem:


  • Proteína na urina (proteinúria)
  • Nível de enzimas hepáticas mais alto do que o normal
  • Contagem de plaquetas inferior a 100.000 (trombocitopenia)
O médico também poderá solicitar outros testes para verificar a coagulação do sangue e monitorar a saúde do bebé. 


Os resultados desses testes ajudarão o médico a decidir se o parto do bebê precisa ser realizado imediatamente.


Tratamento de Pré-eclâmpsia

A única forma de curar a pré-eclâmpsia é realizar o parto do bebé.Se o bebé já estiver bem desenvolvido (geralmente com 37 semanas ou mais), o médico pode optar pelo parto para que a pré-eclâmpsia não piore. 


A mulher grávida pode receber diferentes tratamentos para ajudar a iniciar o trabalho de parto ou pode ser necessário realizar uma cesariana.


Se o pequenino não estiver totalmente desenvolvido e a pré-eclâmpsia não for grave, a doença geralmente pode ser controlada em casa até que o bebé tenha maior probabilidade de sobreviver após o parto. As possíveis recomendações médicas para isso são:


  • Repouso absoluto, deitada sobre o lado esquerdo o tempo todo ou a maior parte do tempo
  • Beber bastante água diariamente e reduzir o consumo de sal
  • Realizar consultas mais frequentes com o médico para garantir que você e o bebê estão bem
  • Tomar medicamentos para diminuir a pressão arterial (em alguns casos)

As mulheres que, no início da gestação, tinham pressão arterial muito baixa, mas apresentaram um aumento significativo, precisam ser monitoradas cuidadosamente para verificar a ocorrência de outros sinais de pré-eclâmpsia.


Até já,


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...