22.7.13

O regresso ao trabalho, depois de sairmos da incubadora mãe&filho!

Regressar ao trabalho depois da licença de maternidade é sempre um grande desafio.
Pessoalmente, fiquei 6 meses longe da rotina laboral e voltar foi um desafio. Estava desejosa de voltar, por um lado, por outro... deixar o Manel na creche e ir para o metro.... foi desafiante. Não chorei, ele não chorou... foi apenas... diferente.


A verdade é que também sentia falta da Mariana trabalhadora de sempre :)


Sei, no entanto, que  sei que este assunto é bem preocupante para a maior parte das mães e só de pensar em voltar ao trabalho e deixar o bebés ao cuidado de outros, as deixa em pânico e angustiadas.


Junto com a volta ao trabalho, inúmeras dúvidas surgem para as mães de primeira viagem: o que fazer com o leite que continua a produzir (no caso de ainda amamentar)? Será que vou conseguir voltar ao ritmo de trabalho de antes? O meu filho vai sentir minha falta? Uma coisa é certa... Mãe e bebé sobrevivem e com grande estilo :)


Como eu ja referi anteriormente noutro post, colocar a criança na creche, em casa dos pais/sogros, contratar uma ama... deve ser feito antes da mãe começar a trabalhar, de forma a que haja uma nova adaptação de mãe e bebé a esta realidade, ou seja, atempadamente e iniciar curtos períodos de tempo e ir aumentando diariamente.


A lei portuguesa permite às mães redução de 2h diárias de trabalho - até ao primeiro ano de vida do bebé - para amamentação/aleitamento, por isso não stressem. 

As mamãs que amamentam podem retirar o seu leite com bomba, mas tomem atenção à validade do leite. Sob refrigeração, o leite materno tem validade de 24 horas, e enquanto congelado o prazo estende-se para quatro ou cinco dias. Podem aproveitar sempre o leitinho para levar para a creche/casa dos pais ou sogros e assim o bebé continua a beber do vosso leitinho :)


Não tenham sentimento de culpa. O mais comum nos dias de hoje é sermos mães trabalhadoras e independentes. Aproveitem quando forem buscar os vossos bebés ao espaço onde os deixaram de manhã e brinquem muito com eles, encham-nos de beijos :) 

Eles sabem que vocês, mães, não os abandonaram!


Às mamãs que vão regressar ao trabalho, muita força, Às que ainda falta algum tempo, aproveitem todos os bocadinhos com os vossos pequeninos :)

20.7.13

Dica #6 da mamã - Entrada na Creche

Algumas dicas úteis para as mamãs e papás antes de deixar os pequenotes na creche :)



  • Dizer a verdade é sempre importante. Não deixem a criança na creche dizendo que vão à casa de banho e já voltam. No dia seguinte o seu filho não vai acreditar e vai chorar (bem... esta dica é para tudo na vida em relação ao vosso filho... A VERDADE! Assim ele vai acreditar sempre em vocês).
  • Antes de matricularem o vosso filho na creche, conheçam várias de forma a que possam decidir em consciência.
  • A imunidade da criança pequena ainda não é total. Se as doenças na creche forem muito frequentes acarretando perda de peso, é melhor deixá-la em casa.




Até já

19.7.13

A ida para a Creche

Bem, há um tempo que não escrevia um post. Mas esta semana foi MUITO IMPORTANTE para mim e para o pequenino M.


Ora que ele foi à creche a primeira vez e, para quem ainda não foi mãe, ou quem ainda não deixou o seu bebé aos cuidados de pessoas que não nós, não imaginam como fica o coração depois de deixarmos os nossos pequeninos... e irmos sem eles para algum lado. Mas para muitas de nós, não há outra forma. A licença de maternidade acaba, as férias acabam e um sentimento ímpar de tristeza vem acompanhado de incertezas. Como vou deixar meu bebé tão pequenino numa escolinha?


Colocarmos os nossos bebés na creche tão prematuramente pode parece um retrocesso nas nossas cabeças, mas a legislação das creches/infantários em Portugal protege MUITO os nossos filhos e podemos ficar mais descansados porque eles estão em segurança. A creche tem de ser um lugar onde a mãe sesinta segura para deixar seu filho enquanto trabalha. 


A ida da criança para a creche é um dos momentos mais importantes na vida da criança e da mãe. É a primeira separação real dos dois, marcando a sua entrada no mundo social. Claro que isso não pode acontecer de forma brusca. Pessoalmente coloquei o Manel 1 semana antes de eu começar a trabalhar, de forma a que passasse apenas algumas horas por dia, adaptando-se às educadoras e ao espaço. E pronto... para que eu também me habitue a estar longe do meu amorzinho.


A ideia que nós, pais, temos que ter é que a creche pode ser benéfica (principalmente às crianças demasiado mimadas pelos pais). É lá que se dá a iniciação da autonomia da criança. E isso, obviamente que nos assusta pois é comum vermos os nossos filhotes como pequenos bebés incapazes e crescer sozinhos. Somos tão tontas :)


Eu tenho a certeza (e as mães experientes que o confirmem), que aos poucos o meu filho vai desenvolver acções importantes que levará para toda a vida, como a convivência social, começando o processo de amizade, de divisão e colaboração mútua, desenvolvimento da linguagem e de conhecimento do mundo. Brincadeiras entre crianças, normais em creches, contribuem para acelerar o processo de socialização.


É preciso que a mãe se sinta segura - A nossa segurança neste “ritual de passagem” do convívio familiar para o social dos nossos filhos é fundamental. As mães seguras conseguem passar tranqüilidade aos filhos quando diz que no fim da tarde voltará para o ir buscar. A criança verá que isso acontece todos os dias e que a mãe não o vai abandonar.


Confesso que não é uma tarefa fácil, mas não podemos estremecer. As crianças pequenas que ainda não conseguem expressar-se muito bem verbalmente podem transmitir este sentimento de separação através do choro, recusa de alimento ou mesmo ficar doente, o que é normal. Os pais devem favorecer o conhecimento do novo ambiente através da sua presença e mediação com os professores.


Entretanto, confesso que a 1ª semana do Manel tem corrido sem grandes complicações, ri-se quando chega à creche, ri-se quando sai da creche, come tudo. Penso que ele e eu, estamos a ser exemplares nos nossos papeis.


Partilhem connosco as vossas experiências.




Próximo desafio... voltar ao trabalho esta próxima 2ªfeira.Até já,

12.7.13

Ajudar quem Ajuda

Este é um projecto ao qual todos devemos dar muita atenção. Felizmente os nossos filhos são todos muito amados, têm bom suporte familiar, têm acesso a uma boa alimentação, às vacinas, ao AMOR!


Infelizmente, esta realidade não bate à porta de todas as crianças que nascem e sendo que nós, mães e pais, atentos e preocupados queremos o melhor para os nossos filhos, queremos também que quem não tem a sorte de ter um suporte familiar tenha, pelo menos, acesso ao básico para se ser feliz.


A Casa de Acolhimento Mão Amiga acolhe crianças em perigo e situação de negligência. Com o objectivo de ter uma vida o mais normalizada possível, com acesso à alimentação, à educação, à brincadeira e ao Amor, esta equipa oferece a estas crianças toda a segurança que elas necessitam, dando-lhes esperança e um projecto de Vida.





Contudo, é a CASA que precisa da nossa ajuda!


Esteve em risco de fechar no início do ano e continua com inúmeras dificuldades. Não queremos que esta CASA feche! Há crianças a contar com ela e é aí que nós entramos.


Do que precisa a CASA?
  • Fraldas Tam. 4 e 5
  • Creme Muda-Fraldas
  • Creme Hidratante
  • Suplemento AR para lactentes
  • Leite UHT Meio Gordo


Estamos ainda a angariar dinheiro para adquirir
  • 1 Frigorífico
  • 1 Aspirador
  • 1 Toldo para o Terraço


Amanhã, o Evento Ajudar Quem Ajuda,  vai vender vários produtos, como Águas, Sumos, Cafés, Bolos, ..., disponibilizados já por algumas marcas e cujas receitas vão inteiramente para a aquisição dos bens supracitados.


Podemos todos ajudar, não é?


Para isso, basta deslocarem-se amanhã ao Parque José Gomes Ferreira, comprar uma água e já está a contribuir para esta causa. Podem ainda levar um pacote de Fraldas, ou Leite :)


Caso não se possam deslocar, qualquer €1 depositado na Conta da CASA é bem-vindo.


O NIB 0036 0170 99100094300 50


(*) Agradecemos o envio do comprovativo da transferência, juntamente com o seu nome, morada e contribuinte para emissão do respectivo recibo.


Nós vamos lá estar amanhã, e vocês?


Até já,

2.7.13

O nosso Manel vai hoje para o seu quarto :)

Hoje, o Manel vai passar para o seu quarto! Aos 4 meses e meio, elevai dar um grande passo e eu acho que vou dar um ainda maior...! 
ELE VAI ESTAR DO OUTRO LADO DA CASA, A UNS 25 KM DO MEU QUARTO! Mas mesmo assim... estou mais ou menos calma! Calma... eu juro que estou calma!

Se faz parte do grupo das mães que fazem tudo para adiar a ida do vosso bebé para o outro quarto, entenda por que é importante fazer a mudança o quanto antes


A maioria das futuras mamãs dedica boa parte dos nove meses de gravidez à preparação do quarto do novo membro da família. Berço, cómoda, papel de parede e peluches, entre outros itens, aos poucos vão dando vida ao espaço onde a criança passará seus primeiros anos. No entanto, mesmo que cada detalhe tenha sido pensado para garantir o conforto do filho, nem sempre é fácil colocá-lo para dormir sozinho nesse ambiente. Revêem-se nesta verdade?

A ansiedade e medo dos pais muitas vezes fazem com que eles deixem o recém-nascido no seu quarto... durante muito tempo!

A verdade é que, quanto mais noites o filho passar no quarto dos pais, mais difícil será se habituar a dormir sem ninguém por perto. 

Outro factor que leva muitas mães a manter os pequenos ao seu lado toda a noite é o facto de ser mais prático, já que, especialmente no primeiro mês, a amamentação ocorre com maior frequência. 

A recomendação vale também para a hora de dormir. Manter uma rotina é fundamental para que o recém-nascido tenha um sono tranquilo, mas, obviamente que é muito importante agir sempre conforme as suas necessidades. 

Também é uma nova vida para o casal
Vá, vocês têm noção disto...a permanência do vosso filho no vosso quarto pode ser prejudicial também para vocês. A nossa intimidade geralmente é abalada pela chegada da criança e, se ela ocupar 100% de sua atenção, retomar o relacionamento do ponto em que estava no momento da concepção será ainda mais difícil... muito muito difícil.

A ligação da mãe com o filho, particularmente no início, é tão intensa que o pai pode desenvolver uma espécie de ciúme dessa relação. Assim, é possível afirmar que há uma dificuldade de resgatar a intimidade em todos os seus aspectos e não apenas no sexual.

Amanhã conto-vos como correu a noite do caganoninho :)

Até já,
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...