30.6.15

O meu filho sofre de sonambulismo?

Ontem tive um episódio que poderá ter sido de sonambulismo.

Por não saber bem se era, ou não, fui pesquisar e quero partilhar convosco algumas coisas.



O pediatra Mário Cordeiro define-o como «semi-acordar e andar», em "O Livro da Criança"

De acordo com o especialista esse estado pode corresponder a fases de transição de ritmo de sono e/ou sonos.

Podem ocorrer cerca de duas horas após o início do sono (com o Manel foi exatamente assim) e incidem mais nos rapazes que nas raparigas e as crianças que já tenham na família pessoas com distúrbios de sono, correm também esse risco.

Quais os possíveis fatores e estratégias de prevenção

Para além de antecedentes familiares, o cansaço e o stress também podem afectar o padrão de sono infantil. Devemos assim criar rotinas e ritmos de vida equilibrados para minorar esta condição. Devemos, assim, criar horas certas para as refeições e soninho dos nossos filhos.

Como se manifesta o sonambulismo?

Falarem sozinhos durante o nosso, de alguma forma irrequietos, podem levantar-se e mesmo sair dos quartos. Não se deixem enganar, pois os olhos podem estar abertos, mas normalmente com um olhar distante.

Podem durar entre 5 a 20 minutos e, dizem os mais entendidos, que não se deve acordar a criança.

Segundo o Dr. Mário Cordeiro no livro supracitado, devemos:

  • Não acordar a criança
  • Luzes de presença nos corredores
  • Escadas vedadas janelas e portas da rua trancadas
  • Não ter coisas no caminho da criança onde ela possa tropeçar (brinquedos, armários,...)
  • Reencaminhar a criança para a sua caminha, com calma e sem falar.


Devemos, se necessário, falar com o Pediatra dos nossos filhos sobre esta questão.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...