8.3.14

O nosso Dia, minhas Mulheres!

Hoje não é Dia da Mulher porque merecemos tratamento especial!


Hoje não é Dia da Mulher porque nos sentimos inferiorizadas!


Hoje é Dia da Mulher porque somos realmente diferentes!


As Mulheres são a Natureza na sua forma humana! A força que determina tudo o que é importante nesta vida. A nossa espontaneidade quando precisamos que as coisas sejam feitas! O nosso 'arregaçar de mangas' quando a vida nos decide trocar as voltas. É único, e TU MULHER, que lês isto, sabes e sentes isto!


Nós não esperamos, nós fazemos! Temos a particularidade de agarrar tudo sem pensarmos nos espinhos e no que o que os outros poderão pensar.

Na minha vida tenho exemplos de Mulheres que nunca, mas NUNCA, baixaram os braços. 

São a minha inspiração! 


A minha Avó Lurdes, que soube amar de uma forma única e com uma força tamanho, depois da vida lhe mostrar as coisas ruins e injustas! As saudades que sinto , porque sei que ela iria responder a todas as dúvidas que tenho neste momento. 


A minha Mãe Madalena que sempre trabalhou num mundo onde ter pulso e garra era palavra de ordem. Foi contra tudo e contra todos para fazer as coisas com integridade. Foi referência na sua área e foi reconhecida por isso. 


A minha Mana Ana, que sempre teve uma garra inigualável, atingindo os seus objetivos, ignorando mesquinhices e fazendo tão bem as coisas como ela sabe fazer. Ajudando ao máximo os que a rodeiam e nunca pedir nada em troca.


A minha Mana Joana, que com idade para fazer tontices, escolhe ser uma aluna brilhante, lutar por aquilo em que acredita para atingir os objetivos que traçou.


Eu apenas tento ser Mulher...  Sou Mulher, sou Lutadora, sou Sonhadora, sou Dor e Sou Força. Sou Lágrima e sou Sorriso. Sou Fúria e sou Abraço. Sou Menina e Sou Mãe... sou a Mariana!


Feliz Dia da Mulher, minhas Mulheres!




A Mulher

Ó Mulher! Como és fraca e como és forte!
Como sabes ser doce e desgraçada!
Como sabes fingir quando em teu peito
A tua alma se estorce amargurada!

Quantas morrem saudosa duma imagem.
Adorada que amaram doidamente!
Quantas e quantas almas endoidecem
Enquanto a boca rir alegremente!

Quanta paixão e amor às vezes têm
Sem nunca o confessarem a ninguém
Doce alma de dor e sofrimento!

Paixão que faria a felicidade.
Dum rei; amor de sonho e de saudade,
Que se esvai e que foge num lamento!

Florbela Espanca - Trocando olhares
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...