19.7.13

A ida para a Creche

Bem, há um tempo que não escrevia um post. Mas esta semana foi MUITO IMPORTANTE para mim e para o pequenino M.


Ora que ele foi à creche a primeira vez e, para quem ainda não foi mãe, ou quem ainda não deixou o seu bebé aos cuidados de pessoas que não nós, não imaginam como fica o coração depois de deixarmos os nossos pequeninos... e irmos sem eles para algum lado. Mas para muitas de nós, não há outra forma. A licença de maternidade acaba, as férias acabam e um sentimento ímpar de tristeza vem acompanhado de incertezas. Como vou deixar meu bebé tão pequenino numa escolinha?


Colocarmos os nossos bebés na creche tão prematuramente pode parece um retrocesso nas nossas cabeças, mas a legislação das creches/infantários em Portugal protege MUITO os nossos filhos e podemos ficar mais descansados porque eles estão em segurança. A creche tem de ser um lugar onde a mãe sesinta segura para deixar seu filho enquanto trabalha. 


A ida da criança para a creche é um dos momentos mais importantes na vida da criança e da mãe. É a primeira separação real dos dois, marcando a sua entrada no mundo social. Claro que isso não pode acontecer de forma brusca. Pessoalmente coloquei o Manel 1 semana antes de eu começar a trabalhar, de forma a que passasse apenas algumas horas por dia, adaptando-se às educadoras e ao espaço. E pronto... para que eu também me habitue a estar longe do meu amorzinho.


A ideia que nós, pais, temos que ter é que a creche pode ser benéfica (principalmente às crianças demasiado mimadas pelos pais). É lá que se dá a iniciação da autonomia da criança. E isso, obviamente que nos assusta pois é comum vermos os nossos filhotes como pequenos bebés incapazes e crescer sozinhos. Somos tão tontas :)


Eu tenho a certeza (e as mães experientes que o confirmem), que aos poucos o meu filho vai desenvolver acções importantes que levará para toda a vida, como a convivência social, começando o processo de amizade, de divisão e colaboração mútua, desenvolvimento da linguagem e de conhecimento do mundo. Brincadeiras entre crianças, normais em creches, contribuem para acelerar o processo de socialização.


É preciso que a mãe se sinta segura - A nossa segurança neste “ritual de passagem” do convívio familiar para o social dos nossos filhos é fundamental. As mães seguras conseguem passar tranqüilidade aos filhos quando diz que no fim da tarde voltará para o ir buscar. A criança verá que isso acontece todos os dias e que a mãe não o vai abandonar.


Confesso que não é uma tarefa fácil, mas não podemos estremecer. As crianças pequenas que ainda não conseguem expressar-se muito bem verbalmente podem transmitir este sentimento de separação através do choro, recusa de alimento ou mesmo ficar doente, o que é normal. Os pais devem favorecer o conhecimento do novo ambiente através da sua presença e mediação com os professores.


Entretanto, confesso que a 1ª semana do Manel tem corrido sem grandes complicações, ri-se quando chega à creche, ri-se quando sai da creche, come tudo. Penso que ele e eu, estamos a ser exemplares nos nossos papeis.


Partilhem connosco as vossas experiências.




Próximo desafio... voltar ao trabalho esta próxima 2ªfeira.Até já,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...