31.1.14

A Fisioterapeuta que vos faltava lá em casa!

Isto de se ser mãe não é fácil. Temos tantas dúvidas. Principalmente quando os nossos filhos são muito pequeninos e não exprimem o que se passa com eles.


Esta semana pedi ajuda aos nossos seguidores, porque precisava de uma fisioterapeuta para fazer umas massagens respiratórias ao Manel.


Ora que, mais do que medicação, eles precisam é de expulsar o mais naturalmente possível, todas as coisinhas que os incomodam e eles, por serem tão pequeninos, não o conseguem fazer sem ajuda.




E sim... é muito chato para nós, termos de nos deslocar a sítios para eles fazerem essas massagens. Por isso, nada melhor do que os profissionais se deslocarem a nossa casa. Até porque é muito mais confortável para os nossos pequeninos fazerem estes tratamentos no conforto do lar, do que em espaços desconhecidos, certo?


Ora que, conversas puxa conversa, descobri que a Mariana, namorada de um amigo, é fisioterapeuta de formação e apenas faz domicílios!


EU QUERIA A MARIANA!!!!!


A Mariana é uma pessoa jovem, cheia de vontade de trabalhar e Jesus, se ela foi competente! Verdade ou Mentira deu-me 2 ou 3 conselhos que resultaram e que fizeram o Manel dormir sossegadinho a noite toda.


Eu sei, vocês também querem ter uma Mariana só para vocês!


Por isso mesmo, resolvi ser amiga e partilhá-la!


Os vossos bebés precisam de massagens respiratórias? Vocês precisam daquela cena no pé? E tratar aquelas dores intermináveis nas costas?


MARIANA IS THE ANSWER!


Mariana Guerra

91 492 36 04 e 92 757 77 80

marianaa.guerra@hotmail.com





30.1.14

Day Planner Events

Sou pela amizade!

Sou pelo companheirismo!

Sou pelos meus amigos!


Por isso mesmo, quero apresentar-vos o mais recente projeto da minha amiga Marta. Uma empresa de Eventos. Eu própria acabei de a contratar para me ajudar na organização do Baptizado do Manel.


Mas como se chama esta empresa? » Day Planner Events.




O que faz? » Isso mesmo! Planeia o vosso evento, aquele dia que é tão importante para vocês: Casamento, Baptizado, Aniversário, Festa da Empresa, Festa surpresa, uma festa à medida.



 E trata de tudo, desde o Padre, Igreja, convites, ofertas, balões, palhaços, espaços, ...



Porque, apesar de não ser uma empresa enorme, a Marta é muito competente! Mesmo... MUITO!


Podem contar com ela para tudo. É como se fosse minha irmã!


Agora tratem de pedir orçamentos, sff!


Contactos:
Facebook » Day Planner Events
Email » dayplannerevents.orcamento@gmail.com
Telemóvel » 91 780 99 75


28.1.14

Para o pai do meu filho!

Têm sido uns dias do caraças... difíceis como tudo!


É que a vida, às vezes, gosta de nos testar ao limite.


Ganhei-te!Perdi-te!Perdi-te de vez e para sempre. Nunca mais te vou ver!


É isto que tenho de perceber e aceitar.


Mas é difícil. É difícil e não é automático!


Tenho a minha rotina diária com o nosso filho e acho que tem sido a grande ajuda. Ajuda-me a levantar todos os dias, a arrancar sorrisos, a sair à rua e a perceber que há, realmente, coisas que só o tempo ajuda ultrapassar.


Alguém me disse que estás algures a cuidares de nós. Mas eu só quero mesmo que estejas em paz! Que olhes para nós com orgulho e que nos acompanhes em todas as decisões tomadas.


Apesar de muita coisa ter acontecido, tenho todo o orgulho em seres o pai do meu filho! Lembro-me quando me abraçaste ao ver o teste de gravidez, lembro-me quando choraste ao saberes que era um menino.


Isso faz-me chorar a mim também... porque tenho saudades tuas!


O Manel já diz adeus e só quer estar em pé! 


Engraçado que vou lendo o que escrevo e são tantas as coisas soltas, não é? O meu discurso está como a minha cabeça, complicado e confuso.


Show must go on!


Obrigada a todos os que estão sempre comigo e com o Manel!



21.1.14

A influência dos elogios no desempenho das crianças!

Uma amiga partilhou este documento e eu, gostei tanto de ler que o copiei na íntegra para partilhar convosco também!
Elogiem mais os vossos filhos, sobrinhos, amigos....
"Os pais, regra geral têm tendência a elogiar os filhos pelos seus feitos. Tudo começa quando eles são bem pequeninos, e fazem cocó sozinhos (sem bebé gel) aos 3 dias de gente: “Espetacular, conseguiu logo, vê-se que é uma criança determinada”.
Pronto! Começou a asneirada.
Todos sabemos que os nossos filhos, ao nossos olhos, são perfeitos. Mas os pais tornam-se perfeitos idiotas quando elogiam excessivamente uma criança: 1º porque ela não é estúpida, sabe que a sua primeira letra não foi fantástica, foi razoável. E se não se aperceber na altura do elogio vai perceber quando escrever o alfabeto completo, voltar ao início do livro e se deparar com as suas primeiras palavras escritas; 2º porque estamos a abrir a porta à preguiça, e à insolência (na melhor das hipóteses) .
Há elogios positivos, que reforçam a auto-estima dos miúdos, fazendo com que queiram continuar a tentar realizar tarefas. Há outros que são ocos, frívolos e apenas afagam o ego dos pais que muitas vezes não despendem o tempo que queriam com os seus filhos, e elogiam-nos constantemente para reforçar algo que não sabem bem o que é. Eu faço-o às vezes. E no momento sinto-me bem, mas sei que a longo prazo estou a fazer-lhes mal!
mae-filho-600x400
O Psicólogo e Mestre em Educação Marcos Meier, realizou uma palestra sobre “A Influência dos Elogios no Desempenho das Crianças e na Formação de Valores” em que documenta de forma muito interessante este tema.
“Recentemente, um grupo de crianças pequenas passou por um teste muito interessante. Psicólogos propuseram uma tarefa de média dificuldade, que elas executariam, contudo, sem grandes problemas. Todas conseguiram terminar a tarefa depois de certo tempo. Em seguida, foram divididas em dois grupos.
O grupo A foi elogiado quanto à inteligência: “Uau! Como você é inteligente!”, “Como você é esperto!”, “Que orgulho! Você é genial!”… E outros elogios relacionados à capacidade de cada criança.
O grupo B foi elogiado quanto ao esforço: “Parabéns! gostei de ver o quanto você se dedicou nesta tarefa!”, “É muito bom ver o quanto você se esforçou!”, “Como você é persistente! Tentou, tentou, até conseguir… Muito bem!” E outros elogios relacionados ao investimento realizado e não às capacidades percebidas na criança.
Depois dessa fase, uma nova tarefa de dificuldade equivalente à primeira foi proposta aos dois grupos de crianças. Aqui, elas podiam escolher se queriam ou não participar da mesma.
As respostas das crianças surpreenderam. A grande maioria das crianças do grupo A não participou.
Não quiseram nem tentar. Por outro lado, as crianças do grupo B aceitaram o desafio. Não recusaram a nova tarefa.
A explicação é simples e nos ajuda a compreender como elogiar nossos filhos e nossos alunos. O ser humano foge de experiências que possam ser desagradáveis. A maioria das crianças, elogiadas apenas pela sua inteligência e esperteza, não quiseram se arriscar a errar, pois o erro poderia modificar a imagem que os adultos tinham delas. Já as crianças elogiadas pelo seu esforço, dedicação à tarefa ou persistência, se dispuseram a tentar, porque independente do resultado da sua ação, a sua postura frente ao trabalho é que seria reconhecida.
Sabemos de “N” casos de jovens considerados muito inteligentes não passarem no vestibular, enquanto aqueles jovens “médios” conquistam essa vitória. Os “inteligentes”, muitas vezes, confiam na sua capacidade e deixam de se preparar adequadamente. Os outros sabiam que se não estudassem muito não seriam aprovados e, justamente por isso, estudaram mais, resolveram mais exercícios, leram e se aprofundaram em cada uma das disciplinas.
No entanto, isso não é tudo. Além dos conteúdos escolares, nossos filhos precisam aprender valores, princípios e ética. Precisam respeitar as diferenças, lutar contra os preconceitos, adquirir hábitos saudáveis e construir amizades sólidas. Não se consegue nada disso por meio de elogios frágeis, com enfoque apenas no ego de cada um. É preciso que sejam incentivados constantemente a agir assim. Isso se faz com elogios, feedbacks, e incentivos ao comportamento esperado.
pai-e-filho
Nossos filhos precisam ouvir frases, como: “Que bom que você o ajudou, você tem um bom coração”, “Parabéns, meu filho, por ter dito a verdade apesar de estar com medo… Você é ético”, “Filha, fiquei orgulhoso de você ter dado atenção a sua colega novata ao invés de tê-la excluído, como algumas de suas colegas o fizeram… Você é solidária”, “Isso mesmo, filho; deixar seu primo brincar com seu videogame foi muito legal, você é um bom amigo”.
Elogios desse tipo estão fundamentados em ações reais e reforçam o comportamento da criança, que tenderá a repeti-los. Isso não é “tática” paterna, é incentivo real.
Por outro lado, elogiar superficialidades é uma tendência atual. “Que linda você é, amor!”, “Acho você muito esperto, meu filho!”, “Como você é charmoso!”, “Que cabelo lindo!”, “Seus olhos são tão bonitos!”.
Elogios como esses não estão baseados em fatos, nem em comportamentos. ou atitudes. São apenas impressões e interpretações dos adultos. Em breve, essas crianças estarão fazendo chantagens emocionais, birras, manhas e “charminhos”. Quando adultos, não terão desenvolvido resistência à frustração e a fragilidade emocional estará presente.
Homens e mulheres de personalidade forte e saudável são como carvalhos que crescem nas encostas das montanhas. Os ventos não os derrubam, pois cresceram na presença deles. São frondosos, têm copas grandes e o verde de suas folhas mostra vigor, pois se alimentaram da terra fértil.
Que nossos filhos recebam o vento e a terra adubada por nossa postura firme e carinhosa.”
 [Psicólogo e Mestre em Educação, Marcos Meier]

in uptolisbonkids

20.1.14

Os 11 meses do Manel e os 11 meses dos bebés

O Manel faz hoje 11 meses! Está crescido e cheio de saúde, felizmente! É a luz que me ilumina todos os dias!


Com 11 meses, os bebés já entendem mais do que nós achamos. Experimentem pedir um beijo, pode ser que recebam  um. Nesta idade, os bebés já conseguem seguir algumas instruções, como entregar um brinquedo ou dizer adeus (o Manel já faz o gesto cada vez que sai da creche). 


Talvez já chamem "mamã" (o Manel também já faz esta habilidade) ou "papá", ou quem sabe fale um idioma que só ele conhece (aquele bla ba ba ba dá dá na na na deles). Continuem a conversar com o vosso  filho, digam-lhe o nome dos objectos e das pessoas.


Quanto mais fizerem isso, mais rápido o vocabulário dele vai crescer. Experimentem fazer perguntas: "Onde está a barriga do bebé?". Ele pode responder com gestos. Por exemplo, faço sempre este exercício quando ele acaba de comer.


Com 11 meses, há bebês que começam a dar seus primeiros passos (aqui ainda não). É uma sensação emocionante ver aquela criança tão pequena a equilibrar-se sozinha, com confiança. Preparem a máquina fotográfica! 



Dica do Dia


É isto!

15.1.14

Promoções para os bebés: Continente e Well's

Porque, se forem como eu, andam sempre atrás de uma boa promoção:


Continente


De 14 de janeiro até dia 2 de fevereiro


“TUDO PARA O SEU BEBÉ” NA FEIRA DE BEBÉ DO CONTINENTE


De 14 de janeiro até dia 6 de fevereiro, a Feira do Bebé do Continente oferece uma variada seleção de produtos aos melhores preços, com uma forte campanha promocional de grandes marcas com descontos de 25% e 50% em cartão.

Em destaque encontram-se as Fraldas Continente Extra absorventes (tamanho 4 e 5), as cadeiras Auto GR 2/3 Bigo com 25%, o conjunto Edredão + resguardo Disney com 50% de desconto em cartão, entre muitas outras promoções. A realçar ainda a gama de Purés Continente 100% Fruta e as farinhas Lácteas Continente de sabores tipicamente portugueses, bem como a gama de cadeiras Auto com vários modelos, cores e marcas a preços muito acessíveis.


De 14 de janeiro até dia 6 de fevereiro, a Feira do Bebé do Continente oferece uma variada seleção de produtos aos melhores preços, com uma forte campanha promocional de grandes marcas com descontos de 25% e 50% em cartão.


Em destaque encontram-se as Fraldas Continente Extra absorventes (tamanho 4 e 5), as cadeiras Auto GR 2/3 Bigo com 25%, o conjunto Edredão + resguardo Disney com 50% de desconto em cartão, entre muitas outras promoções. A realçar ainda a gama de Purés Continente 100% Fruta e as farinhas Lácteas Continente de sabores tipicamente portugueses, bem como a gama de cadeiras Auto com vários modelos, cores e marcas a preços muito acessíveis.


No Continente encontram, também, este RSF da promoção Johnson's! Podem ganhar 20 packs multifunções (carrinho, alcofa, cadeira grupo 0+ e saco muda fraldas Safety 1st, com um cabaz de produtos Johnson's Baby!


Compram 2 embalagens de Johnson's baby (qualquer um) com uma frase e este Rsf. Até 2 Fevereiro


WELL'S


Well’s está com um especial puericultura com promoções bem jeitosas, de 14 Janeiro a 2 Fevereiro:


  • 25% em todas as chupetas e todos os biberões Chicco
  • 25% em todas as chupetas e biberões Classic
  • 20% todos os produtos Bébéconfort
  • 20% em todos os produtos Mustela
  • 25% em todos os produtos Mammy
  • 30% em todos os produtos Uriage
  • 20% em todos os produtos Bébé Klorane e Petit Junior 
  • 20% em ABCDerm
  • 20% todos os Oleoban

Assim que for vendo mais promos partilho convosco :)

Vi tudo no 'tralhas grátis' :)

Até já,

14.1.14

Ressonar pode gerar crianças problemáticas

Andando nas minhas pesquisas, descobri que, as crianças que roncam durante o sono nos primeiros anos de vida tendem a ter uma infância mais indisciplinada e “problemática”. Este estudo foi feito em Inglaterra e publicado no Jornal Americano de Pediatria. 


Basicamente afirmam que o desenvolvimento cerebral pleno das crianças pode ser afetado por problemas de respiração na hora de dormir.


A pesquisa, feita com 11 mil britânicos com idades entre 0 e 7 anos, analisou o comportamento das crianças ao chegar aos sete. Descobriu-se que verifica-se mais este efeito nas crianças que atingem a pior fase dos problemas respiratórios no sono, por volta dos 2 anos e meio.


Those - unlike this child - who have problems breathing well while asleep are more likely to have behavioural problems once they reach school.
foto ALAMY

As crianças deste grupo, conforme apuraram os índices, tinham 85% mais chances de ter hiperatividade, 60% mais chances de “problemas de conduta” e 37% mais chances de ter problemas de relacionamento com outras crianças, em comparação com aquelas que passaram a primeira infância respirando bem durante a noite. 


Esta relação de causa e efeito, contudo, ainda não está totalmente clara para os investigadores que trabalharam este tema. A teoria mais simples aponta para o facto de que uma má respiração, no sono, atrapalha a fluidez com que o oxigênio deve chegar (em abundância) ao cérebro de uma criança em desenvolvimento. O córtex pré-frontal, responsável pelo comportamento, seria um dos mais afectados pela falta de oxigenação.


Aliados a isso, estão factores dedutíveis: uma criança que tem dificuldade de respirar à noite pode acumular anos de sono de baixa qualidade, sem falar que o problema pode ser consequência de dormir num ambiente com pó, por exemplo. Tais antecedentes, no entanto, não foram analisados neste estudo de maneira aprofundada. 


13.1.14

Educar é complicado!



Convenhamos, não existe um modelo de educação. Isto porque, felizmente, somos muito diferentes uns dos outros, crianças e pais. Vivemos em diferentes meios ambientes e muitas vezes, temos contacto com coisas bastante diferentes e experiências distintas. Todas estas premissas são influenciadores no crescimento de uma pessoa.


Contudo, existem alguns "básicos" que podemos seguir, de forma a que as coisas corram mais ou menos bem. Basicamente, se algumas destas coisas não forem produtivas para os vossos filhos... temam... :P



Estive a deitar as vistas num artigo da HypeScience e achei que vocês iam gostar de ter contacto com o mesmo. Os erros que devemos evitar com os nossos filhotes.


1. Estar sempre a salvar a criança


Obviamente que temos SEMPRE de saber como estão os nossos filhos. Temos de garantir que elas estejam seguras e saudáveis, mas às vezes isto deve ser feito à distância. As crianças devem aprender a resolver seus próprios problemas e a pensar de forma crítica.


EX: Não se metam demasiado nas brigas das crianças. Tentem que elas resolvam as coisas por elas. Claro que temos de intervir se as coisas tomarem grandes proporções, mas na maioria das vezes, são coisas sem importância. Faz parte do crescimento deles, aprender a lidar com estas situações: Problema - Reação - Resolução de Problema


2. Não focar num problema

Temos de dar a atenção adequada às crianças. Se uma criança ouve constantemente que tem mau comportamento e que é má, na realidade ela aceita essa condição e torna-se mesmo numa criança má e problemática. As crianças precisam que acreditem nelas e de encorajamento. Faz parte do nosso papel de pais, dizer que eles são capazes de atingir um objectivo e reconhecer quando isso acontece.


3. Lutar cada batalha

Para as crianças é tudo um drama. Focam-se nos conflitos e entram de cabela neles, normalmente com confiança e teimosia. Cabe a nós, pais e adultos, saber gerir a situação: Quando fazer concessões e quando não dar hipótese às crianças. Temos de ser firmes e disciplinadores.





4. Arriscar

Apesar de termos mais informação hoje em dia, de querermos ter sempre contacto com os nossos filhos (através de telemóvel, por exemplo), é importante saber dar espaço ais nossos filhos para explorarem algumas coisas por si próprias (da mesma forma que a nossa geração fazia). Gostam de passear, correr, conhecer outras crianças e fazer recados às vizinhas.


Temos de aprender que, não podemos proteger demasiado e que faz parte do processo "educação" deixá-las cair e aprender a levantar, deixá-las sofrerem decepções, deixá-las ganharem suas próprias cicatrizes. Por muito que nos doa pensar nisto (e credo que até me custa estar a escrever isto) não estaremos sempre ao seu lado para as proteger, e a melhor coisa que podemos fazer é dar-lhes a confiança de que vão conseguir levantar-se sozinhas, e ter o discernimento de reconhecer situações perigosas.


Temos de estar preparados para interferir quando uma situação for demais para uma criança, mas nos outros casos, precisamos deixar que elas cometam os seus próprios erros e aprendam com eles. A dor também é um professor valioso.


5. GRITAR!

Se for preciso, respire e conte até dez mas faça tudo para manter a calma ao pé dos seus filhos e não entrar em fúria. Ao gritar com eles, mostra que perdeu o controlo.


A chave é tentar manter a calma, dar um passo para trás e chegar a uma solução racional junto com a criança.


Não é fácil! Mas os nossos filhos devem olhar para nós com respeito e não como aquele ser que grita por tudo e por nada e não sabe controlar situações.




6. Subornos

Ok! É positivo reforçar quando uma criança desempenha bem uma tarefa. Mas claro que não devemos premiar as suas tarefas básicas. Se estamos sempre a premiar o bom comportamento, fará com que ela tenha expectativas irreais sobre o mundo e uma sensação de que tem direito a ganhar alguma coisa sem ter feito nada de mais – o que não será bem apreciado pelas outras pessoas na hora em que ela precisar enfrentar uma situação fora de casa.


Até já

10.1.14

Bullying entre irmãos!



Bullying entre irmãos é um tipo de violência predominante na vida da maioria das crianças, mas pouco se sabe sobre o mesmo. 


Todos nós, os que temos irmãos,  andámos valentemente aos murros, pontapés e a puxar cabelos, certo? E normalmente acabávamos todos de castigo!!



Estive a pesquisar e estes ataques de fúria entre irmãos (ou bullying como agora é chamado) é visto como normal, e as diferenças percebidas entre vítimas e agressores (isto normalmente).


Contudo, há situações em que o comportamento agressivo por parte de um irmão pode produzir raiva, ansiedade e depressão na vítima.




Segundo a Youth Villages (uma entidade privada sem fins lucrativos que ajuda crianças com problemas de saúde emocionais, comportamentais e mentais), há três características definidoras que determinam se o comportamento de agressão entre irmãos é bullying:


  • Se é deliberado. O agressor tem a intenção de machucar alguém fisicamente ou emocionalmente.
  • Se é repetido. O agressor alveja repetidamente a mesma vítima.
  • Se há um desequilíbrio de poder. O agressor escolhe uma vítima que ele ou ela percebe como vulnerável.
Aqui ficam algumas dicas para os pais prevenirem ou impedirem o bullying entre irmãos:


  • Defina a expectativa de que a casa é um lugar seguro e bullying/porradinha da boa não será tolerado.
  • Modele o comportamento que deseja ver nos seus filhos. Não discipline de forma agressiva ou com raiva, mostre o devido respeito para cada membro da família e elogie seus filhos quando eles fizeram o mesmo. Pratique essa disciplina de forma clara e consistente.
  • Cultive uma relação próxima com seus filhos.
  • Estabeleça uma comunicação aberta e confiável no seio da família. Ouça os seus filhos e responda se eles dizem que estão sendo emocionalmente ou fisicamente abusados de alguma forma – por qualquer pessoa, mesmo um irmão ou irmã.
  • Descubra o que há por trás do comportamento de bullying. Talvez a criança esteja em busca de atenção ou sendo intimidada na escola.
  • Encontre maneiras positivas para que os irmãos interajam, como jogos em família.
  • Ensine às crianças formas de se acalmar antes de reagir, como contar até 10, ouvir música, etc. 
  • Forneça supervisão e participação na vida do seu filho. Se o bullying está ocorrendo, aumente a supervisão e não deixe as crianças envolvidas juntas e sozinhas.
  • Certifique-se de que os seus filhos têm o apoio social adequado onde quer que vão, inclusive na escola. 
  • Observe atentamente para quaisquer pensamentos ou ações suicidas. As crianças que sofrem bullying estão em alto risco de tentativa de suicídio. As intimidações são também fatores de risco para problemas de saúde mental, incluindo depressão e uso de drogas. 

Até já

9.1.14

Nomes mais populares em 2013

Depois de postar aqui a lista de nomes mais populares em 2012, eis que, em primeira mão, temos os nomes mais populares de 2013.








Confirma-se que Maria e João são os nomes mais populares do ano passado.


Nasceram cerca de 7000 menos bebés do que em 2012 o que faz com que a maioria dos nomes também sofra um decréscimo de registos.


Sendo assim:

20 nomes Femininos mais populares em 2013


  1. Maria
  2. Matilde
  3. Leonor
  4. Mariana
  5. Carolina
  6. Beatriz 
  7. Ana
  8. Inês
  9. Lara
  10. Margarida
  11. Sofia
  12. Joana
  13. Francisca 
  14. Laura
  15. Madalena
  16. Luana
  17. Diana
  18. Mafalda
  19. Rita
  20. Sara


20 nomes Masculinos mais populares em 2013



  1. João
  2. Rodrigo
  3. Martim
  4. Francisco
  5. Santiago
  6. Tomás
  7. Guilherme
  8. Afonso
  9. Miguel
  10. Gonçalo
  11. Duarte
  12. Tiago
  13. Pedro
  14. Gabriel
  15. Diogo
  16. Rafael
  17. Gustavo
  18. Dinis
  19. David
  20. Lucas

Manuel aparece em 30º lugar!




Algum nome em especial que queiram saber?


Até já,

8.1.14

Vegetais à mesa! Frescos ou Congelados?

A Associação Portuguesa de Dietistas (APD) fez, esta quarta-feira, uma recomendação no sentido de que os portugueses comecem a incluir mais vegetais à mesa. A APD realizou um estudo junto de 200 mães portuguesas de Lisboa e Porto, com filhos entre os 4 e os 10 anos, para aferir se as mesmas tinham consciência dos benefícios dos vegetais e leguminosas, bem como a frequência das mesmas à mesa.




O estudo revela alguns resultados alarmantes, concluindo-se que ainda há muito para fazer especialmente no que concerne à variedade da alimentação à mesa.
Em média, 34% dos inquiridos almoça em casa duas vezes por semana, ou seja, ao fim-de-semana. Apenas 37% almoça em casa todos os dias e 74% janta em casa todos os dias. Por isso, é necessário garantir refeições completas e nutritivas.
Os vegetais marcam presença nas refeições, todos os dias, para 50% das inquiridas, mas 20% admite dar apenas entre uma a três vezes refeições com vegetais. Apenas 8% serve leguminosas todos os dias e 59% apenas uma a três vezes por semana. Relativamente às crianças, na ementa escolar, 49% das mães afirma que os mesmos consomem vegetais na escola todos os dias e 39% afirma que as leguminosas estão no menu escolar 2 a 3 vezes por semana.
E quando há birras à mesa, 65% das mães refere que volta a insistir nos vegetais nas refeições seguintes, mas 10% admite que acaba por substituir por outro alimento, sendo que 3% acaba mesmo por desistir. Apenas 25% afirma que, para insistir, cria novas receitas, o que significa que as restantes não tentam encontrar formas diferentes para dar os alimentos aos seus filhos, o que pode significar uma batalha perdida. Quando questionadas sobre os acompanhamentos, batata (38%) e vegetais cozidos (25%) são os eleitos pelas mães, mas sem dúvida os menos apetecíveis para os filhos.
Quando vão às compras, as mães portuguesas optam por vegetais frescos com 97% das inquiridas a afirmá-lo. Apenas 37% compra congelados.
Zélia Santos, presidente da Associação Portuguesa dos Dietistas, afirma que «este é um factor que tem por base uma série de mitos relacionados com os congelados. A maioria associa artificialidade ao alimento congelado, quando no fundo este acaba por conservar maior quantidade de nutrientes quando congelado poucas horas após a colheita».


A mesma responsável acrescenta ainda que «optar por vegetais congelados é uma opção mais fácil e eficaz já que não implica uma ida às compras diária, facilitando a oferta de nutrientes à família lá em casa todos os dias. É por isso uma boa forma de se evitarem desperdícios, pois duram muito mais tempo, podendo ser consumidos em dias diferentes sem nunca perderem as suas vitaminas».
Apesar de saberem, por senso comum, a importância de se ingerirem vegetais ou leguminosas, as mães portuguesas desconhecem os benefícios de cada vegetal. «Ao não sabermos os benefícios de cada um, acabamos por não variar e dar aqueles que a família mais gosta. É incorrecto proceder desta forma, pois cada alimento é rico em determinados nutrientes e todos são importantes para a nossa saúde», refere Zélia Santos.


Mais de 50% não sabe os benefícios concretos, por exemplo dos brócolos, espinafres, couves de Bruxelas, feijão-verde, ervilhas, grão, feijão ou favas. E na maioria das vezes, quando afirmam saber, atribuem-lhe os benefícios errados. O único vegetal que parece escapar a esta tendência é a cenoura, «pois é do conhecimento geral que a mesma é rica em Vitamina A, contribuindo para a saúde visual», reforça a presidente da Associação.
Porque são importantes os vegetais e leguminosas?
Estes alimentos são muito ricos em vitaminas, consideradas nutrientes essenciais. O nosso organismo não as consegue produzir, mas necessita delas para diversos processos metabólicos. Como não há nenhum alimento que contenha todas as vitaminas na quantidade adequada, torna-se essencial ter uma alimentação variada, rica em fruta e legumes.

A partir do momento em que os legumes são colhidos, começam a perder vitaminas. São alimentos muito sensíveis a vários factores externos como a temperatura e a humidade, bem como à passagem do próprio tempo, levando a que, após a colheita, possa existir uma perda imediata e progressiva de inúmeras das suas características e nutrientes, em especial no caso das vitaminas. Por isso é importante desmistificar que o processo de congelamento é essencial nestes casos, quando feito horas após a colheita, pois garante a riqueza dos mesmos, mantendo-os sempre frescos, mesmo que meses a fio no congelador.
Segundo a dietista «se olharmos para o exemplo dos espinafres, estes chegam a perder mais de 14% de vitaminas por dia, o que significa que após uma semana perderam mais de 98% do seu valor vitamínico. Com este nível de perdas, facilmente compreendemos que, ao comprarmos legumes frescos - que levam vários dias a chegar ao supermercado, que vão do supermercado para casa e da casa para o prato - acabamos por comer legumes sem aproveitar ao máximo todos os seus benefícios».

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...